6 Coisas Sobre Os 18 Anos

Nessa quinta-feira eu completo 19 aninhos, então é oficial: a nave mãe pode me vir me buscar (por favor). Decidi contar um pouco sobre os 18, que são cheios de muitas expectativas, mas ainda mais responsabilidades. Podes dirigir, tens que votar e expõe-se à dezenas de “adultices”, como abrir a sua primeira conta bancária. São várias coisas sobre as quais nossas famílias passaram anos tentando nos aconselhar, mas que inevitavelmente nos surpreendem.

Todas as mudanças tem dois lados e neste post eu trago as 8 que, para mim, foram mais impactantes no que é a transição da adolescência para – rufem os tambores – ser um jovem adulto – o que quer que isso signifique.

1 – Vestibular

Talvez tenha vindo para você antes ou depois, mas por volta dos 18 vem a pressão acadêmica de ter seu ensino médio inteiro avaliado. É, de uma certa forma, o marco de missão concluída, aquilo para o qual passas 3 anos se preparando.

Apesar de todo o lado objetivo do que são as matérias e de que nota precisas, é uma experiência muito subjetiva também. Naturalmente estressante pela carga de trabalho envolvida, os exames podem te virar do avesso, se deixares. A verdade é que ele não pode ir de ser um grande acontecimento para consumir toda a sua vida. É necessário continuar fazendo o que gosta: saia de casa, assista às suas séries, durma todas as horas precisas para não se tornar um zombie.

2 – Transição para faculdade

Ainda estou no estágio da ansiedade das candidaturas. Com a mudança para outro país, me despedir do ensino médio foi um bocadinho mais emotivo e complicado. O terceiro ano é sempre uma experiência mais marcante e seu final, como a festa de formatura e a última aula juntos, tem um gosto bittersweet.

Com irmão e primos mais velhos, já tinha visto de perto o quanto tudo muda e ainda  assim pode parecer demais com a fase anterior. Escolher o seu curso e se adaptar à um ritmo diferente é apenas parte da transição. E por cima disso tem o facto de não conhecer ninguém e serem todos novatos, ou melhor dizendo, calouros.

3 – Entrando no primeiro emprego

Hm, não acontece para todo mundo – como euzinha aqui. Como deve ser óbvio, conseguir um emprego é mais do que aparecer nas lojas que estão procurando por um colaborador. Tem muitas coisas que os empregadores vão levar em consideração, e várias outras para se pensar antes mesmo de candidatar-se para uma vaga.

A minha expectativa era ter começado num trabalho com essa idade: era um dos pedacinhos de independência que eu mais quis ter. Mas tudo vêm no seu tempo e, com o tópico de cima – a universidade – a consumir 120% do meu tempo, foi difícil conciliar tudo. Com o segundo semestre, e estando mais familiarizada com as coisas, espero poder tornar esta parte dos 18 real.

4 – Aprender a dirigir

Essa é uma das primeiras coisas que nós pensamos quando o relógio bate meia-noite e completamos 18 anos. É quase como se esperássemos que o carro e o dinheiro no banco fossem surgir à nossa frente. Bem, deixe-me adicionar aqui um grandíssimo “quem me dera”.

Será que ir à uma escola de condução no final de semana antes de fazer 19 conta? A maior parte dos meus colegas já concluíram todas as aulas, testes e estão nos seus carritos por aí. De uma certa forma, fico feliz por estar indo mais devagar. Sinto-me mais confortável com o meu pequeno passe do que atrás do volante por enquanto, e é mais do que ok. Vá no seu próprio tempo.

5 – Contas bancárias e boletos

Boy, oh boy, não há escapatória. Minha faculdade nos deu cartões e contas logo no dia da matrícula, mais um daqueles empurrõezinhos em direção à adultice. A colega aqui ficou um bocado perdida por um segundo – que nem o meu cartão de crédito que foi extraviado.

O mais importante sobre esta etapa é saber perguntar as várias vezes que for preciso até entender. Azucrinei meus pais e os atendentes do banco enquanto não percebia como as coisas funcionavam. E só assim é que não fiquei com, por exemplo, um cartão funcionando perdido pelos correios.

6 – Responsabilidade

É legal quando você quer, sei lá, justificar faltas ou algo do tipo. Não precisar explicar tudo para trinta pessoas pode parecer um alívio – e é. Mas ainda assim vais ter que explicar-se, por vezes sem poder pedir um sos para mamãe e papai.

Uma das maiores responsabilidades é o voto – obrigatório no Brasil a partir dos 18.

Muitas daquelas coisinhas do dia a dia, como quando perdes o passe dos transportes ou precisas resolver uma burocracia qualquer, cai logo no seu colo.  O motivo é simples: chegou a idade em que és dono de si mesmo, e isso inclui tanto as partes divertidas quanto os formulários intermináveis.

Bem, não há como resumir qualquer idade ou fase em alguns tópicos, especialmente considerando que cada pessoa é diferente e vê as coisas da sua forma.  Aqui eu vos deixo a minha perspetiva sobre o que acontece com a maioria de nós. Contem nos comentários as suas expectativas e experiências dos vossos 18.

Espero que gostem!

Xoxo,

Michelle Lebres.

 

Leave a Reply