Android Para Leigos

Esse post dedica-se à minha experiência com o meu querido Moto G4 Play comprado em outubro do ano passado depois de ter 3 iPhones seguidos. Achei que seria uma ideia interessante pois, estando numa situação mais frágil financeiramente, você sempre opta pelo o que vai magoar menos o seu bolso. E vamos concordar com uma coisa aqui: os preços da Apple não ajudam nem aos seus consumidores fiéis. Logo eu imagino que alguns de vocês possam ter passado ou estar passando pela dúvida do que fazer com menos recursos e precisando de um celular novo. Aqui vos dou meu ponto de vista leigo e comum sobre o meu primeiro Android.

Março de 2016 meu iPhone 5C sofreu uma queda que quebrou bem a quina da sua tela. Até então eu não precisei fazer o conserto, pois não afetava nem a câmera nem a parte do visor em si. Alguns meses depois, no entanto, ele sofreu uma segunda queda exatamente igual a primeira – para vocês verem o tamanho do meu azar – e o estrago foi bem maior.

O vidro trincou de forma diagonal pela tela inteira, saindo pedacinhos pequenos do ecrã. A minha dor maior era saber que levá-lo para reparar custaria pelo menos 1/3 do valor de um aparelho novo. E assim comecei a buscar opções de compra.

“Mas você ainda tinha um 5C?!” Sim, meus caros, eu não acompanho os lançamentos da Apple. E como fazê-lo com os preços exorbitantes que eles colocam? Não consigo.

O conserto sairia por volta de uns 300 reais (uma verdadeira dinheirama) e um iPhone novo mais barato naquela época estava por volta dos 1.800-2.500 reais. Isso foi sinal o bastante para eu ver outras marcas.

Qual é a maior diferença que notou no Android?

É um sistema muito mais aberto do que o iOS (sistema operacional da Apple), o que significa que você tem mais liberdade para algumas coisas, como transferência de arquivos do seu computador e download dos mesmos da internet no seu celular.

Mas também significa maior facilidade para acabar tendo um vírus no seu celular, o que nunca havia acontecido comigo antes. As duas vezes em que isto ocorreu foi por causa de páginas no Facebook que abriram com malware. A partir de então, baixei um antivírus indicado pelo aparelho e acompanhei até mesmo nível de cache.

De uma certa forma, o Android te trás algumas preocupações e possibilidades que tem mais a ver com o que você encontra no seu computador.

O maior atrativo no seu novo aparelho que não havia no iPhone.

O Moto G4 Play te permite usar cartões de memória no seu celular, o que para mim é uma função um tanto interessante uma vez que estou constantemente editando fotos e tirando novas. Como a minha câmera as faz com um peso maior do que o normal de um celular pela sua qualidade, espaço extra é sempre bom.

No entanto, os valores dos cartões de memória me decepcionaram um pouco e fizeram com que eu não pudesse experimentar ainda essa função. Há aparelhos que aceitam cartões de até 128gb, possibilidade essa que não sei se a Apple tem como oferecer.

Outra coisa que não posso deixar de mencionar é que o iPhone é muito mais frágil do que este Motorola, e provavelmente do que outros Androids também. A verdade é que em diversas situações que foram prejudiciais aos meus aparelhos Apple o pequeno Moto G4 aguentou firme e forte e saiu ileso. Seu carregador e fones de ouvido também. Então, mais do que pontos para ele!

Mas o que realmente me encantou no Motorola foi a longa duração da bateria. É possível ficar mais de 24 horas sem carregá-lo se colocar no modo economia de bateria. Caso contrário, chega a durar 18 horas uma carga. No início, entretanto, com a bateria com pouco uso, é possível que mesmo fora do modo economia esta chegue a durar 22 horas. 

Os aplicativos funcionam da mesma forma?

A maioria dos apps é a mesma coisa, então não se preocupe com as redes sociais e os seus outros básicos. O que pode acontecer é a aparência da aplicação ser diferente do que seria para o usuário de iOS.

Tenha em mente também que por vezes um aplicativo que existe na App Store do seu iPhone não estará disponível na Google Store do novo Android. Não é a realidade dos mais famosos e comuns, mas acontece sim. Ah, e algo que nós no fundo sabemos mas nos escapa a memória na hora H é que suas compras de aplicativos feitas no seu iPhone não tem como ser transferidas, pelo o que eu saiba.

Quais são os pontos considerados negativos?

A câmera dos iPhones são indiscutivelmente umas das melhores do mercado, logo meu Motorola não pode muito bem competir e, sendo uma grande fã de fotografia (o que mais faço em meu celular), obviamente me fez falta.

O sistema dos Motorolas recentes tem parceria com o Google, o que significa que apps como Google Drive e Gmail já vem instalados no seu aparelho. O único problema é não poder deletar nenhum destes, nem aqueles de rádio e assistência ao usuário. Com a memória pequena, o espaço que estes consomem por vezes faz falta.

Minha opinião final:

A minha conclusão é que Androids são muito democráticos enquanto seu preço e uso, possibilitando que pelo custo médio de um aparelho destes você esteja atendido nas funções mais básicas e tenha espaço para expandir.

Mas, se você não for um consumidor que exija várias possibilidades de programação e está mais interessado num uso simples e confortável, então o Android pode te fazer se perder (especialmente aqueles que, como eu, estavam acostumados com o iOS).

Gostaria apenas de avisar, para que não haja confusão, de que isto é o que pensei sobre o aparelho ao final de mais de um ano de uso. Para o seu valor, funciona mais do que bem e, como dito, mostra-se mais resistente em certos aspetos do que o próprio iPhone e outras marcas mais caras. Portanto, tenho um relacionamento de gratidão com meu Motorola, mas não posso deixar de ser honesta sobre seus defeitos quando indicando-o. 

E aí? O que vocês acham de Androids? Quer sugerir algo? Fale para mim nos comentários ou no Twitter! Espero que gostem ♥

xoxo,
Michelle Lebres.

 

Leave a Reply